domingo, 26 de fevereiro de 2012

Tua Falta (provisório)

Não espero boa leitura
espero sim tua leitura
não espero nem bela escrita
espero sim tua carta
para me dizer o que sentes
e suspeitar o que sinto

Quando sobes a montanha
e a paisagem encanta
quando tudo que vês
é sol,árvore e esperança
e quando lá nas alturas
o ar fica pouco,rarefeito
se sentes medo e tontura
se isto te aperta o peito

Então sabes o que sinto
quando sinto tua falta
o ar fica rarefeito,escasso
o respirar é difícil
pareço perdido no espaço
se não te vejo na rua
se não estás ao meu lado.

Estrada

Contanto que não se conte
as estrelas são lindas
contudo que não se diga
que o amor prossiga

As naves que voam perto
que digam se estou certo
as palavras que não são ditas
espero que se tornem gestos

O sol que ilumina a terra
reflete meu rosto na água
você poderia estar perto
e não estaria assim,deserto

Andando pela estrada
entre poeira e solidão
vendo passar o tempo
devagar,sem direção

Estrada de uma sombra
sombra que já foram duas
deixam poucas lembranças
lembranças que já foram suas

Para onde foram os ventos
a sombra e o descanso
se já não sinto a brisa
se já secaram meu pranto.