quinta-feira, 1 de junho de 2017

Memória

O que seria dos sabores sem ela
O que seria dos amores sem ela
O que seria dos cheiros sem ela
O que seria dos gostos sem ela

Ipreguinado lembro o sabor
Preenche todo corpo esse amor
Implícito perfume em teu corpo
Me proíbo saborear outro gosto

Uma vida feliz se reserva
Àquele que sabe contê-la
Que preserva um que de memória

Um resto acre-doce de sonho
Uma chama de não ao tormento
Dançando na chuva de vento




Nenhum comentário:

Postar um comentário